jump to navigation

O melhor da turma 7 dezembro, 2009

Posted by Fábio Ricardo in fábio ricardo, vingança.
trackback

Paulinho era o melhor aluno da classe. Tirava as melhores notas, estava sempre em primeiro lugar. Outros alunos também eram inteligentes, como Fred, mas Paulinho sempre se destacava, era o xodó dos professores.

Paulinho também era o terror das menininhas. Ele era alto, moreno, tinha um par de olhos verdes que encantava qualquer uma. Conquistava a menina que quisesse, mas era um verdadeiro gentleman. Está bem, ele não era o único garoto bonito da faculdade. Fred, por exemplo, também não era de se jogar fora.

Fred também jogava futebol bem. Mas Paulinho era melhor. Ele fez três gols na final do campeonato, em que seu time venceu por 4 a 0. O outro gol foi do Fred, mas ninguém lembrou disso. Paulinho também venceu o campeonato de vôlei, com uma cortada matadora no último ponto. Quem levantou a bola para ele foi Fred, mas quem se lembra dos levantadores?

Paulinho era o melhor em tudo que fazia. Ninguém era tão bom quanto ele em nada! Era realmente um garoto prodígio.

No dia do aniversário de Fred, sua mãe ligou a TV e estava passando, no canal da universidade, a final das olimpíadas nacionais de matemática. Fred queria muito participar, mas apenas um competidor podia representar cada faculdade, e Paulinho foi o escolhido. Paulinho venceu o torneio e saiu carregado nas costas. Todos os parentes e amigos de Fred, em sua festa de aniversário, comemoraram e abençoaram o vencedor.

Fred se trancou no quarto e chorou até anoitecer.

Assim que o sol nasceu, encontraram o corpo de Paulinho caído no chão de seu quarto, já sem vida, com três facadas nas costas. A perícia disse que ele abrira a porta de casa para seu assassino.

No ano seguinte, mais ninguém lembrava de Paulinho. Afinal de contas, Fred acabava de vencer o campeonato de vôlei, com uma cortada matadora no final do jogo. Está certo que quem levantou a bola na medida para ele foi o Léo, mas ninguém se lembra dos levantadores.

Uma semana antes, ele havia feito dois dos 3 gols de seu time na final do campeonato. O terceiro gol e os dois passes foram feitos por Léo, mas ele foi substituído antes do final do jogo, e nem participou da comemoração. Aquele ano, Fred beijou todas as meninas, tirou as melhores notas e foi eleito o melhor da turma.

Ele também realizou seu maior sonho, participar das olimpíadas nacionais de matemática. Aquele ano, as olimpíadas não foram realizadas em Agosto, como sempre o eram. Elas foram realizadas em Setembro, exatamente no dia do aniversário de Léo.

Na manhã seguinte, o corpo de Fred foi encontrado já sem vida no chão de seu quarto, com a faca ainda presa às suas costas. A perícia disse que ele havia aberto a porta da casa para seu assassino.

Anúncios

Comentários»

1. Rafael Waltrick - 7 dezembro, 2009

É praticamente um círculo vicioso. O texto é bem conduzido e os detalhes enriquecem bastante a narrativa – como no caso dos jogos e da descrição dos personagens – mas eu acho que acabou perdendo um pouco do quesito “elemento surpresa” no final. A partir do momento em que incluísse o terceiro personagem na trama, resgatando os acontecimentos anteriores, parece que fica claro ao leitor que uma nova morte e uma nova desforra ocorrerá ao final da história.

2. Rodrigo Oliveira - 8 dezembro, 2009

ia comentar no seu blog, mas já que postou aqui, fica aqui mesmo (esqueceu né, cabeçudo!) : bacana, só ficou um pouco repetitivo demais. Deu pra ver que era essa a intenção, mas acho que foi um pouco além da conta.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: